Arquivo da tag: Think!

700 versus 27

Repostando o post de maior sucesso do blog, Tks Odir, ha mais de um ano atras.

E aproveitando, aro 27 é bem legal de pedalar.

Este é um curto artigo escrito a pedido dos meus amigos Pscycles e da Comunidade Pscycle, depois de uma troca de e-mails sobre tamanho de rodas. O primeiro rascunho estava muito longo, parecendo muito mais um grande tratado sobre tamanhos de rodas, quando a questão era apenas esclarecer a diferença entre aros 700c e 27 polegadas. Enxuguei-o, e aqui está.

Em primeiro lugar, precisamos esclarecer as diversas nomenclaturas sobre tamanhos de rodas. As nomenclaturas comerciais são uma bagunça. Seguem padrões meramente de marketing, gerando uma confusão danada. Por exemplo, um pneu pra aro 29 não caberá num aro 27, será pequeno… Como assim, 29 é menos que 27? Sim. E 28? Maior que 27 e muito maior que 29… E aro 26 então? há umas 3 medidas diferentes de aro 26! Uma usada nas mountain bikes, outra nas bikes de triathlon, e uma terceira usada nas bicicletas de carga….

Então vamos esclarecer o que realmente interessa.

Primeiro, há dois fatores que devem ser levados em conta. Um fator é a largura do aro. Pneus muito estreitos não devem ser usados em aros muito largos, e vice-versa. Mas essa é uma outra questão. E, a principal, é o diâmetro interno da faixa de encaixe do pneu. Esse diâmetro é que nos permitirá saber se o pneu encaixa no aro ou não.

Essa medida vem indicada na própria faixa lateral do pneu. Em caracteres grandes vem a indicação comercial, e entre parêntesis vem indicado em milímetros, primeiro a largura do pneu, e depois o diâmetro interno dele, do segunte modo: “(28×630)”. isto significa que o pneu tem a largura de 28 milímetros e o diâmetro interno de 630 milímetros, ou seja, só cabe num aro de 630 milímetros.

A padronização em milímetros é que nos permite saber, com segurança, se um pneu cabe num determiando aro ou não. Esse é o chamado padrão E.R.T.O., adotado pelas normas de padronização ISO. E.R.T.O. é a abreviatura de European Tyre and Rym Technical Organization. E daí a questão: aro 700c é igual a aro 27? Não, não é.

Na medida E.R.T.O. aro 27 possui o dimâmetro de 630 milímetros. E o aro 700c possui o diâmetro de 622 milímetros. E esses 8 milímetros fazem diferença? E como fazem. Um pneu para aro 700c não entra num aro 27, e um pneu para aro 27 sai da roda aro 700c… Não são intercambiáveis.

Pois bem, agora vamos pensar do ponto de vista de quem está montando uma fixa a partir de um quadro de Caloi 10 antiga, ou Monark 10 antiga, ou Peugeot 10. Pode-se trocar o garfo dianteiro, original pra aro 27 por um garfo moderno e se usar aro 700c, ligeiramente menor. E a roda traseira, qual a vantagem de um e de outro?

Primeiro é preciso saber que rodas menores são mais duras, mais rígidas, trasnmitindo melhor a força da pedalada para a roda – já houve época em que se bateram récordes de velocidade em velódromo usando-se bikes com aro 20, mas depois foram proibidas pela UCI, em razão também da absurda vantagem aerodinâmica. E rodas maiores são mais macias, portanto dão uma rolagem muito mais suave diante da buraqueira das nossas cidades. Em segundo lugar, existe o fator squid, que faz o fixeiro consumir pneus em quantidades industriais… Há quem queime um pneu por mês…

Há uma gama fartíssima de pneus pra aro 700c, por ser o padrão atual das bicicletas de estrada. Além do mais, há as híbridas modernas usando aro 700c em medidas maiores (28 mms, 32, 38…). Afora isso há o chamado aro 29 que nada mais é do que o aro 700c para pneus mais largos, utilizados no Mountain Biking, mas cuja medida interna é 622 milímetros, ou seja, a medida dos aros 700c. Mas se a oferta é grande, será que há também uma grande oferta de pneus baratos? Não, a oferta é em qualidade: há pneus levíssimos nessa medida, finos, de altíssima pressão, em kevlar… custando até mais de 200 reais. E quem vai ficar queimando em squids um pneu de 200 reais?

Por outro lado, o aro 27 é amedida das antigas 10 marchas. Seja aqui ou nos E.U.A, onde são chamadas de “old ten”, e também são base para muitas fixas. Aqui no Brasil ainda há oferta dessa medida, mas basicamente de pneus baratos e borrachudos. Não se achará um pneu com talão em kevlar. Serão todos de média pressão (cerca de 80 libras apenas, ao invés das 120 libras que costumo usar nos pneus clincher da mnha estradeira, ou as 160 ou mais libras de pressão dos pneus tubulares dos competidores).

Então, se a intenção é desempenho, use aro 700c, com pneus finos e de alta pressão. Mas se a inteção é ficar se divertindo com os amigos, o velho aro 27 pode ser uma opção muito mais barata e acessível, permitindo muitos squids antes de ter que se recorrer ao limite do cheque especial para continuar pedalando.

Para mais informações sobre medidas de pneus, recomendo o exclente artigo de Sheldon Brown, infelizmente em inglês:
http://www.sheldonbrown.com/tire-sizing.html

Pscycle agradece Ogum777 ( que escreveu esse texto )

30 Comentários

Arquivado em fixed gear

Menos Carros mais Bicicletas !

O world naked ta chegando hein ? massa critica de fixas ? bora la….Alias um brooks deve fazer bem , não ? Manda ai canna !

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

Moustache

Essa onda de ter “bigode”  Nos faz pensar…pq bigode ?  Barba , cabelo e bigode?

Pra gente não ficar fora do onda achei este kit :

E  fica “benito”, olha so : 

Tem gente que resolveu usar na perna, mas pode usar em todo lugar …

Pode decorar sua casa e fazer de tudo :

 

Pode até ficar famoso:

Vamos aderir ao movimento hoje mesmo…olha minha ajuda :

Cuidado com os falsos bigodes :

Por isso vamos aos modelos :

Bora pedalar ? Com guidao moustache, logico

e eu que pensava que o Bigodon era praga da bicicletada… olha o passeio do bigode galera !

Bom trololo de bike proceis

1 comentário

Arquivado em Fixie News, Hipster

Grande pessoa

Vira e mexe o Gallo é mencionado por aqui.

É um grande cara é a bike dele é do tamanho do coração dele, gigante

Essa arte de cima é do Cabelo (www.igualvoce.wordpress.com) e apareceu no Lockring

O cara é tão gente boa que um tempo atras fizemos umas camisetas assim :

Ele merecia. Arte adaptada do Hasse e grande estampas do mestre Aleba.

Mais legal que o Aleba e o Cabelo agora tem uma marca propria, a “vai”. Não por este desenho, mas a amizade une o prazer as coisas legais .

Abraços

Deixe um comentário

Arquivado em Fixed Gear Ideas

…so não tem fixa quem não quer…

O Carlos é a Prova viva que da ! Parabens.

Ele é a prova viva do que quero dizer toda vez do do it yourself, de reciclar e outros mimimis.

Gentes, eis a história da primeira fixa de Nilópolis/RJ…

No final do ano, tava eu passeando num domingo de manhã pela “feira do rolo”, em Nilópolis/RJ, quando me deparei com aquela bike velha, surrada, zoada… achei linda… perguntei o preço e o cara falou 70 conto… mandei 50 e fiquei com a tranqueira… cheguei na casa do sogro e comecei a depenação: ranquei logo a capa de banco do flumerdense, o freio traseiro que tava pegando no aro empenado, os paralamas e a garupa… já ficou com uma cara melhorzinha… aí eu pensei que podia fazê-la fixa… mas como? andando com a bichinha, percebi que a catraca tinha jogo, então deu o estalo: mandar soldar aquela merda… aí fica uma fixa meio nas coxas, mas já dá pra tirar onda… levei num serralheiro e paguei 5 conto pra ele soldar a catraca… comecei a andar e já senti a diferença que vocês tanto falam… pra começar não dá pra andar colado ao meio fio, como eu costumo andar por aqui, que o pedal bate na guia… mas eu fiquei andando pela cidade toda (que é bem plana) e foi muito legal… quando eu voltei do meu passeio, disse por onde tinha andado e perguntaram se eu era louco, se eu pensava que a bike era o “Caveirão” do Bope… aí deu outro estalo: comprar um canote de caveira, que eu já tinha visto no Mercado Livre… neste último feriado voltei pra lá e troquei o canote, guidão, sistema de freio dianteiro, pneu traseiro, centrei o aro e levei um banco melhorzinho… ficou uma delícia de andar… na próxima viagem eu vou levar um cubo de freio à disco e um pinhão… aí ela vai virar uma fixa de verdade…

Custos:
bike velha: 50,00
solda: 5,00
canote: 23,00
pneu: 22,00
pedais: 10,00
sapatas de freio: 2,00
chavetas do pé de vela: 2,00
manoplas: 1,00
centrar aro: 5,00
eixo traseiro: 3,00
banco: grátis, já tinha
guidão/manete de freio/cabo de aço e outras miudezas: tudo grátis no sucatão da bicicletaria de um tiozinho de lá
TOTAL FASE I: 123,00

cubo de freio à disco Shimano: 57,00
pinhão Velosolo: 50,00
mão de obra pra trocar o cubo: 10,00
TOTAL FASE II: 117,00

TOTAL FINAL: 250,00

Depois ainda vou ter que dar um jeito de subir o canote do banco, que tá ultra-super-mega-hiper emperrado… talvez, com o tempo, eu pinte e coloque um banco estilo antigo, com aquelas molas enormes…

Seguem algumas fotos pra ilustrar a Caveirão…

p.s.: a fixa daqui ainda tá meio enrolada… faltam alguma$ peça$…

Carlão
São Paulo/SP

Deixe um comentário

Arquivado em Fixed Gear Ideas

Certo Mano ?

Barra Circular rebaixada…ta na lista….de alguem por ai

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

Fahrer Bag

Andar de bike, como todos sabemos, é algo corriqueiro, normal e naturalmente estimulado em outros países, bem ao contrário do que acontece por aqui. É por isto que sempre acabo postando acessórios criados para os ciclistas de outras terras. Como a “Komplize”, uma bolsa de mão inspirada nas antigas “capangas” usadas na década de 1970 e que pode ser facilmente presa ao quadro de uma bicicleta (usando um adaptador próprio). Perfeita para carregar pequenos volumes, além de carteira e celular, tem estrutura rígida de alumínio que garante uma boa proteção aos itens transportados. Seu revestimento externo é feito de lona de caminhão reciclada e são diversas as opções de padronagens. Ideal para o dia-a-dia corrido das grandes cidades; infelizmente não as brasileiras. “Pedalantemente legaus”!

Via Link

5 Comentários

Arquivado em Fixie News

Enquanto isso em Curitiba

Ontem num desses papos casuais rolou essa placa que eu tinha tirado a foto em curitiba.

 Tem algo haver com Cu-Ritiba ?

Ou é algo assim meio sado ?

Think about.

….ow, aqui em sp as placas sao diferentes ….

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

Bone….

Bom…promessas são promessas e ja to preparando a tela. Carina …bora la com cap ?

3 Comentários

Arquivado em Fixed Gear Ideas

Hoje pensei muito na Marcia

 

Hoje achei no meio de minhas coisas um desenho que eu lembro de ter idealizado junto com a Marcia Prado.

Na epoca a gente estava discutindo frases para bolar adesivos cicloativistas ( para quem nao sabe a frase ” eu transito vc congestiona ” foi ideia dela ).

Guardei o desenho bem guardado para uma ocasião especial.

Hoje que estou revendo meu  papel na vida e revendo o que tenho. Acho que isso sim era um sentido logico de vida. Viver pela bike de bike, simples como ela é , sem complicações.

Nunca escrevi muito neste blog. Mas hoje o coração ta sensivel, e coisas boas que passam não voltam mais. Mas as coisas boas presentes hoje tem de ser vividas, e as do futuro, que venham com alegria !

O futuro é daqui a um segundo e o presente pode virar o passado do segundo que passou. A gente tem de aproveitar a vida, com o que tem, do jeito que tem.

Tenho odio das pessoas destrutivas que querem acabar com a gente como a simples raiva como a de um motorista imbecil provando que era mais forte, Assim como um que  tirou a Márcia de nossas vidas. Existem milhares de pessoas assim, e para elas eu digo : sou feliz fazendo bem, e você é ?

Agradeço o esforço do pessoal do Ciclo Br pelo esforço feito na Rota Mácia Prado . Agradeço a Chris em manter a memória dela viva. Agradeço cada um que mantem o memorial da paulista e por fim agradeço a Márcia por ser o maior icone que uma pessoa pode ser dentro daquilo que a gente almeja. Vamos de bike ?

4 Comentários

Arquivado em Sem categoria